DESENVOLVIMENTO INICIAL DE CULTIVARES DE CAFÉ ARÁBICA SOB FORMAS DE APLICAÇÃO DE BIORREGULADOR VEGETAL

Gustavo Zanetti Pollo, Flávia Constantino Meirelles, Adailza Guilherme Cavalcante, Leandro Borges Lemos

Resumo


Bioestimulantes vegetais são substâncias naturais ou sintéticas que podem ser aplicadas diretamente nas plantas, com a finalidade de melhorar a qualidade das mudas, porém pouco se saber a respeito do seu efeito no crescimento inicial de mudas de café. Objetivou-se avaliar o efeito de quatro épocas de aplicação de biorregulador vegetal sobre o desenvolvimento inicial em mudas de três cultivares de café arábica. Foi utilizado o delineamento experimental de blocos casualizados dispostos em esquema fatorial 4 × 3 representados pelas formas de aplicação do biorregulador vegetal (Stimulate®) F1= aplicação no 2º par de folhas, F2 = aplicação no 2º e 3º par de folhas, F3 = aplicação no 2º, 3º e 4º par de folhas e F4 = aplicação no 2º, 3º, 4º e 5º par de folhas e pelas cultivares de café (CV1 = Mundo Novo IAC 379-19, CV2 = Mundo Novo IAC 515-20 e CV3 = Catucaí 785-15. A aplicação foi realizada via foliar, com solução de 0,1% do biorregulador vegetal. Aos 180 dias após a semeadura, foram avaliados altura de plantas, diâmetro caulinar, massa seca da parte aérea, massa seca do sistema radicular, massa seca total, relação parte aérea e raiz, teor nitrogênio total da parte aérea e o índice de qualidade de Dickson. A CV1 (Mundo Novo IAC 379-19) apresentou resultado mais expressivo para todas as variáveis analisadas, com exceção da altura de mudas que houve interação dos fatores avaliados. A aplicação foliar de biorregulador vegetal não interferiu no diâmetro caulinar, massa seca aérea e total e no índice de qualidade de Dickson.


 


Palavras-chave


Coffea arabica, Fisiologia vegetal, Stimulate®

Texto completo:

PDF

Referências


CASTRO, P. R. C.; PACHECO, A. C.; MEDINA, C. L. Efeitos de stimulate e de micro-citros no desenvolvimento vegetativo e na produtividade da laranjeira ‘pêra’ (Citrus sinensis L. Osbeck). Scientia Agricola, Piracicaba, v. 55, n. 2, p. 338-341, maio/ago. 1998.

CASTRO, P. R. C.; VIEIRA, E. L. Aplicações de reguladores vegetais na agricultura tropical. Guaíba: Livraria e Editora Agropecuária, 2001. 132p.

CARVALHO, H. de P.; MELO, B. de; MARCUZZO, K. V.; TEODORO, R. E. F.; SEVERINO, G. M. Avaliação de cultivares e linhagens de café (Coffea arabica L.) nas condições de Cerrado em Uberlândia-MG. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 19, n. 3, p.59-68, set./dez. 2003.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (CONAB). Acompanhamento da safra brasileira de café. Brasília, v. 5, n. 1, safra 2018, primeiro levantamento, p.1-67, jan. 2018.

CONTARATO, C. C.; SOBREIRA, F. M.; TOMAZ, M. A.; JESUS JUNIOR, W. C. de; FONSECA, A. F. A. da; FERRÃO, M. A. G.; FERRÃO, R. G. Evalution of the initial development of conilon coffee clones (Coffea canephora). Scientia Agraria, Curitiba, v. 11, n. 1, p. 65-71, jan./fev. 2010.

COVRE, A. M.; PARTELLI, F. L.; MAURI, A. L.; DIAS, M. A. Crescimento e desenvolvimento inicial de genótipos de café Conilon. Revista Agro@mbiente, Boa Vista, v. 7, n. 2, p. 193-202, maio/ago. 2013.

DANTAS, A. C. V. L; QUEIROZ, J. M. de O.; VIEIRA, E. L.; ALMEIDA, V. de O. Influência do ácido giberélico e do bioestimulante stimulate® no crescimento inicial de tamarindeiro. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 34, n. 1, p. 8-14, mar. 2012.

DICKSON, A.; LEAF, A. L.; HOSNER, J. F. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, Mattawa, v.36, n.1, p.10-13, 1960.

DOURADO NETO, D.; DARIO, G. J. A.; BARBIERI, A. P. P.; MARTIN, T. N. Ação de bioestimulante no desempenho agronômico de milho e feijão. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 30, suplemento 1, p. 371-379, jun. 2014.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a guide for its Bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 38, n. 2, p. 109-112, mar./abr. 2014.

GOMES, J. M. Parâmetros morfológicos na avaliação da qualidade de mudas de Eucalyptus grandis, produzidas em diferentes tamanhos de tubete e de dosagens de N-P-K. 2001. Tese (Doutorado em Ciência Florestal) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2001.

GUIMARÃES, I. P.; PAIVA, E. P.; ALMEIDA, J. P. N.; ARRAIS, Í. G.; CARDOSO, E. A.; SÁ, F. V. S. Produção de mudas de três acessos de mamoeiro sob doses do bioestimulante Root®. Revista de Ciências Agrárias, Lisboa, v. 38, n.3, p. 414-421, set. 2015.

HUNT, G. A. Effect of styroblock design and copper treatment on morphology of conifer seedlings. In: TARGET SEEDLING SYMPOSIUM; MEETING OF THE WESTERN FOREST NURSERY ASSOCIATIONS; GENERAL TECHNICAL REPORT RM-200, 1., 1990, Roseburg. Proceedings [...]. Fort Collins: USDA, 1990. p. 218-222.

JEROMINI, T. S.; FACHINELLI, R.; SILVA, G. Z. da; PEREIRA, S. T. S.; SCALON, S. de P. Q. Emergência de plântulas e crescimento inicial de copaíba sob diferentes substratos. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 37, n. 90, p. 219-223, abr./jun. 2017.

KERBAUY, G. B. Fisiologia vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 452 p.

MALAVOLTA, E., VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. de. Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. 2. ed. Piracicaba: POTAFOS, 1997. 319 p.

MATIELLO, J. B.; SANTINATO, R.; ALMEIDA, S. R.; GARCIA, A. W. R. Cultura de café no Brasil: manual de recomendações. Rio de Janeiro: MAPA; Varginha: PROCAFE, 2015. 585 p.

PAIVA, A. V. de; POGGIANI, F.; GONÇALVES, J. L. de M.; FERRAZ, A. de V. Crescimento de mudas de espécies arbóreas nativas, adubadas com diferentes doses de lodo de esgoto seco e com fertilização mineral. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 37, n. 84, p. 499-511, dez. 2009.

PIEREZAN, L.; SCALON, S. de P. Q.; PEREIRA, Z. Emergência de plântulas e crescimento de mudas de jatobá com uso de bioestimulante e sombreamento. Cerne, Lavras, v. 18, n. 1, p. 127-133, jan./mar. 2012.

ROSSA, Ü. B.; ANGELO, A. C.; WESTPHALEN, D. J.; OLIVEIRA, F. E. M. de; SILVA, F. F. da; ARAUJO, J. C. de. Fertilizante de liberação lenta no desenvolvimento de mudas de Anadenanthera peregrina (L.) Speg. (angico-vermelho) e Schinus terebinthifolius Raddi (Aroeira-vermelha). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 25, n. 4, p. 841-852, out./dez. 2015.

SILVA, T. T. de A; PINHO, E. V. de R. V.; CARDOSO, D. L.; FERREIRA, C. A.; ALVIM, P. de O.; COSTA, A. A. F. da. Qualidade fisiológica de sementes de milho na presença de bioestimulantes. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 32, n. 3, p. 840-846, maio/jun. 2008.

SILVA, J. V. da; MIGLIORANZA, E.; OLIVEIRA, E. C. de; FELTRAN, J. C. Mandioca ‘IAC 14’ tratada com reguladores vegetais e bioestimulante. Revista Raízes e Amidos Tropicais, Botucatu, v. 10, n. 1, p. 38-48, 2014.

STEFANINI, M. B.; RODRIGUES, S. D.; MING, L. C. Ação de fitorreguladores no crescimento da erva-cidreira brasileira. Horticultura Brasileira, Brasília, v.20, n.1, p.18-23, 2002.

TECCHIO, M. A.; LEONEL, S.; REIS, L. L. dos; SIMONETTI, L. M.; SILVA, M. J. R. da. Stimulate no desenvolvimento de mudas de Kunquat ‘Nagami’. Irriga, Botucatu, edição especial, p. 97-106, 2015.

VIEIRA, E. L.; CASTRO, P. R. C. 2004. Ação de bioestimulante na cultura da soja (Glycine max (L.) Merrill). Cosmópolis: Stoller do Brasil, 2004. 47 p


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Avaliação Qualis-Capes confirma a importância da revista científica do IFTM

A Revista Inova Ciência & Tecnologia / Innovative Science & Technology Journal (RICT/ISTJ), publicada pela EDITORA IFTM, é bem avaliada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Confira a classificação por áreas no Qualis-CAPES 2017:

ENSINOB3
EDUCAÇÃOB4
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMOB4
CIÊNCIAS AGRÁRIAS IB5
ENGENHARIAS IB5
CIÊNCIA DOS ALIMENTOSC

O Qualis 2017 é um conjunto de procedimentos utilizados pela CAPES para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação.

Atualmente, a Revista Inova Ciência & Tecnologia possui 6 indexadores:

Indexadores

Abbreviated key title         Rev. Inova Ciênc. Tecnol. (Online)