LÂMINA ÓTIMA ECONÔMICA PARA O TOMATEIRO IRRIGADO CV. ANDRÉA EM AMBIENTE PROTEGIDO

Taynara Tuany Borges Valeriano, Márcio José Santana, Stefany Silva de Souza, Uander da Costa Pereira, Talita Melo Campos

Resumo


A cultura do tomate representa um dos maiores mercados agrícola brasileiro, sendo uma cultura exigente em tratos culturais adequados, principalmente aqueles voltados para a prática de irrigação. Neste trabalho, teve-se como objetivo avaliar o rendimento do tomate de mesa híbrido Andréa, as reposições da água de irrigação, a partir da determinação de lâminas ótimas (física e econômica). Os tratamentos constaram de cinco reposições de água no solo (70%, 100%, 130%, 160% e 190% da lâmina necessária para elevar a umidade à capacidade de campo). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com quatro repetições. Foram determinadas a produtividade da cultura e as lâminas ótimas, física e econômica. As lâminas ótimas, física e econômica foram de 581,4 mm e 415 mm, apresentando produtividades de 72,64 t ha-1e 61,8 t ha-1, respectivamente.


Palavras-chave


Solanum lycopersicum; Casa de vegetação; Viabilidade econômica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, M.A.R. Tomate: produção em campo, em casa-de-vegetação e em hidroponia. Lavras: UFLA, 2004. 400p.

BRASIL. Programa Nacional de Irrigação. Tempo de irrigar: manual do irrigante. São Paulo: Mater, 1987.

CAMARGO FILHO, W. P.; CAMARGO, F. P. A quick reviw of the production and comercialization of the main vegetables in Brazil and the world from 1970 to 2015. Horticultura Brasileira, Vitória da Conquista, v. 35, p. 160-166, 2017. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-053620170202.

CARRIJO, O. A. et al. Produtividade do tomateiro em diferentes substratos e modelos de casas de vegetação. Horticultura Brasileira, Vitória da Conquista, v.22, n.1, p.5-9, 2004.

CARVALHO, J. A.; REIS, J. B. R. S. Avaliação dos custos de energia de bombeamento e determinação do diâmetro econômico da tubulação. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 24, n. 2, p. 441-449, 2000.

CARVALHO, J. A. Coeficientes de cultura, avaliação econômica da produção e análise do crescimento da cenoura (Daucuscarota L.) irrigada. 1995. 78f. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1995.

CARVALHO, J. A. et al. Efeitos de diferentes níveis de déficit hídrico e doses de nitrogênio sobre a produção do pimentão. Revista Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.1.p. 262-267. 2000.

CARVALHO, L. A.; TESSARIOLLI NETO, J. Produtividade de tomate em ambiente protegido, em função do espaçamento e número de ramos por planta. Horticultura Brasileira, Brasília, v.23, n.4, p.986-989, 2005.

CASTRO, R. P. de. et al. Modelos de decisão para otimização econômica do uso da água em áreas irrigadas da fazenda experimental Vale do Curu, Pentecoste – CE. Irriga, Botucatu, v. 12, n. 3, p. 377-392, 2007.

COMISSÃO DE FERTILIDADE DO SOLO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5a aproximação. Viçosa, Imprensa Universitária UFV, 1999. 359p.

CUNHA, A. R.; ESCOBEDO, J. F.; KLOSOWSKI, E. S. Efeito do fluxo de calor latente pelo balanço de energia em cultivo protegido de pimentão. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF.,v.37, n.6, p.735-743, 2002.

FAYAD. J. A. et al. Horticultura Brasileira, Vitória da Conquista, v.19, n.3, p.9-13, 2001.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3. ed. Viçosa: UFV, 2008. 421p.

GENUCHTEN, M. T. A closed form equation for predicting the hydraulic conductivity of unsaturated soils. Soil Science SocietyofAmericaJournal, v. 44, n. 4, p. 892-898, 1980.

GUIMARÃES, C. M. Efeitos fisiológicos do estresse hídrico. In: ZIMMERMANN, M. J. O.; ROCHA, M.; YAMADA, T. Cultura do feijoeiro: fatores que afetam a produtividade. Piracicaba: Associação Brasileira para Pesquisa da Potassa e do Fosfato, 1988. p. 157-174.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSITCA. Levantamento sistemático da produção agrícola, Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

MAROUELLI W. A.; SILVA W.L.C. Irrigação por gotejamento do tomateiro industrial durante o estádio de frutificação, na região de Cerrado. Horticultura Brasileira, Vitória da Conquista, v.24, p. 342-346. 2006.

MAROUELLI, W. A. et al. Produção de tomateiro orgânico irrigado por aspersão e gotejamento, em cultivo solteiro e consorciado com coentro. Horticultura Brasileira, Vitória da Conquista, v. 29, n. 3, p. 429-434, 2011.

OLIVEIRA, M. R. V. O emprego de casas de vegetação no Brasil: vantagens e desvantagens. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v.30, n.8, p.1049-60, 1995.

PEREIRA, J. R. D. Viabilidade técnica e econômica das aplicações de água e nitrogênio no cultivo de gladíolo (Gladiolus x grandiflorus L.). 2005. 80 f. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2005.

REIS, L. S.; SOUZA, J. L.; AZEVEDO, C. A. V. Evapotranspiração e coeficiente de cultivo do tomate caqui cultivado em ambiente protegido. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.13, n. 3, p. 289-296, 2009.

SANTANA, M. J. Resposta do feijoeiro comum a lâminas e épocas de suspensão da irrigação. 2007. 90 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2007.

SANTOS, H.G, dos et al. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3.ed. Brasília, DF.: Embrapa, 2013. 353p.

SOUZA, J. A. R. et al. Avaliação de frutos de tomate de mesa produzidos com efluente do tratamento primário da água residuária da suinocultura. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v.18, n.3, p.198-207, 2010.

THEBALDI, M. S. et al. Características produtivas do tomate irrigado por diferentes sistemas de irrigação e qualidade de água. Irriga, Botucatu, v. 18, n. 1, p. 43-58, 2013.

THORNTHWAITE, C.W. An approach towards a rational classification of climate. Geographical Review, London, v.38, p.55-94, 1948.

VALERIANO, T. T. B. et al. Alface americana cultivada em ambientes protegido submetida a doses de potássio e laminas de irrigação. Irriga, Botucatu, v.21, n.3, p. 620-630, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Avaliação Qualis-Capes confirma a importância da revista científica do IFTM

A Revista Inova Ciência & Tecnologia / Innovative Science & Technology Journal (RICT/ISTJ), publicada pela EDITORA IFTM, é bem avaliada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Confira a classificação por áreas no Qualis-CAPES 2017:

ENSINOB3
EDUCAÇÃOB4
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMOB4
CIÊNCIAS AGRÁRIAS IB5
ENGENHARIAS IB5
CIÊNCIA DOS ALIMENTOSC

O Qualis 2017 é um conjunto de procedimentos utilizados pela CAPES para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação.

Atualmente, a Revista Inova Ciência & Tecnologia possui 6 indexadores:

Indexadores

Abbreviated key title         Rev. Inova Ciênc. Tecnol. (Online)