Os impactos que o ambiente metalúrgico provoca nas emoções: estudo de caso em uma empresa de Lucas do Rio Verde-MT, Brasil

Autores

  • Nádia Ligianara Dewes Nyari Faculdade La salle (UniLaSalle). Lucas do Rio Verde, Mato Grosso, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0237-5116
  • Carla Babinski Centro Universitário UniLaSalle Lucas de Lucas do Rio Verde, Avenida Universitária, 1000 W, 78455-000, Lucas do Rio Verde, MT, Brasil
  • Kaira Mazzutti Centro Universitário UniLaSalle Lucas de Lucas do Rio Verde, Avenida Universitária, 1000 W, 78455-000, Lucas do Rio Verde, MT, Brasil
  • Geverson Tobias  Bohm Faculdade Estácio de Macapá. Macapá, Amapá, Brasil
  • Sandra Ines Horn Bohm Instituto Federal do Amapá (IFAP). Macapá, Amapá, Brasil https://orcid.org/0000-0002-3264-7314

DOI:

https://doi.org/10.46921/rict2022-1072

Palavras-chave:

Sentimentos, Ambiente Organizacional, Colaboradores, Cotidiano, Relações.

Resumo

Quando nos referirmos a emoções no ambiente corporativo, estamos no especialmente as dificuldades enfrentadas para atingir nossos objetivos e metas, fazendo que administremos de forma positiva as relações a partir dos sentimentos, toleramos frustrações e tudo aquilo que foge ao nosso controle. Nesse sentido o objetivo desse estudo foi verificar a forma que as emoções impactam nas atividades do cotidiano dos colaboradores dentro de um ambiente organizacional. Tendo como objeto, uma empresa do ramo metalúrgico localizada na cidade de Lucas do Rio Verde – MT. A coleta de dados foi realizada através de um questionário composto de 28 (vinte oito) questões abertas e fechadas e aplicado a equipe composta de 25 (vinte e cinco) pessoas nos mais diversos setores, no segundo semestre de 2018. Os principais resultados encontrados foram de que as emoções possuem grande impacto sobre as atividades do dia a dia nas organizações, entretendo os profissionais são contratados por habilidades técnicas e não por inabilidades comportamentais. Na organização pesquisada os colaboradores estão no geral satisfeitos com o que a corporação lhes proporciona, com 96% dos colaboradores responderam que as emoções não interferem nas necessidades já que todas as necessidades são supridas. A gestão das emoções está se tornando um diferencial, no qual muito não sabem trabalhar em equipe e levam problema de casa para a empresa

 

Referências

ALBUQUERQUE, Jamil. A arte de lidar com pessoas: a inteligência interpessoal aplicada. 2. ed. São Paulo: Planeta, 2012.

MARTA, M. A. et al. Igualdade de tratamento nas relações de trabalho e gênero: espaço e território. In: ENCONTRO NACIONAL DE GEÓGRAFOS, 18., 2016, São Luis (MA). Anais [...]. São Luís: MA, 2016. Disponível em http://www.eng2016.agb.org.br/resources/anais/7/1467647952_ARQUIVO_IGUALDADEDETRATAMENTONASRELACOESDETRABALHOEGENEROESPACOETERRITORIO.pdf. Acesso em: nov. 2019.

AMORIM, Tania Gonçalves Ferreira Nobre. Qualidade de vida no trabalho: preocupação também para servidores públicos? Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, [S.l.], v. 9, n. 1, p. 35-48, mar. 2010. ISSN 1677-7387. Disponível em: http://periodicosibepes.org.br/index.php/recadm/article/view/357/465. Acesso em: nov. 2019. Doi: https://doi.org/10.5329/RECADM.20100901003.

ANDRADE, L. T. D.; COSTA, V. F.; ESTIVALETE, V. D. F. B.; LENGLER, L. Comportamento de cidadania organizacional: um olhar à luz dos valores e da satisfação no trabalho. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 19, n. 64, p. 236-262, 2017.

ARAÚJO, A. M. C.; OLIVEIRA, E. M. D. Reestruturação produtiva e saúde no setor metalúrgico: a percepção das trabalhadoras. Sociedade e Estado, Brasília, v. 21, n. 1, p. 133-168, jan./abr. 2006.

AYDIN, S. Factors Causing Demotivation in EFL Teaching Process: A Case Study. Qualitative Report, v. 17, n. 51, p. 2012.

BARZOTTO, L. C. Trabalho e Igualdade: tipos de discriminação no ambiente de trabalho. Belo Horizonte: Livraria do Advogado Editora, 2018.

CARNEGIE, D. Como ser um grande líder e influenciar pessoas. 2. ed. Rio de Janeiro: Best Seller, 2015.

CARVALHO, I. M. V.; DA COSTA LEITE, L. A. M.; DE OLIVEIRA, J. L. C. R.; ROHM, R. H. D. Consultoria em gestão de pessoas. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2009.

CHIAVENATO, I. Administração nos novos tempos. Rio de Janeiro: Elsevier, 1999.

CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria Geral da Administração. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

CHIAVENATO, I. Recursos humanos: e o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

________. Recursos Humanos. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2002.

________. Gestão de Pessoas: o novo papel de recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: [s.l.], 2008.

________. Gestão de pessoas: e o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

DAVIS, K.; NEWSTROM, J. W. Comportamento humano no trabalho. São Paulo: Pioneira, 1992.

DUARTE, R. L.; TEIXEIRA, A.; DE SOUSA, L. G. A relação entre a motivação e a satisfação no trabalho dos servidores públicos. Revista de Carreiras e Pessoas (ReCaPe), São Paulo, v. 9, n. 3, p. 2237-1427, 2019.

FIGUEIRA, Tânia Gomes. Bem-estar, mal-estar e qualidade de vida no trabalho em uma Instituição Pública Brasileira. 2014, 148 f., il., Tese (Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) Universidade de Brasília, Brasília, 2014. Disponível em: https://repositorio.un.br/handle/10482/16074. Acesso em: nov. 2019.

FILHO R. G. I.; LOPES M. C. Qualidade de vida no trabalho: a empresa holística e a ecologia empresarial. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 36, n. 3, 2001.

FONSECA, L.; REIS, R., MESQUITA, K.; ALCANTARA, A. O. Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe: impactos num ambiente organizacional. IN: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO RESPONSABILIDADE SOCIAL APLICADA, INOVARCE, 12, 23, Niterói. Anais [...]. Niterói: UFF, 2016.

FRANÇA, A. C. L. Práticas de Recursos Humanos: conceitos, ferramentas e procedimentos. São Paulo: Atlas, 2009.

FRANCISCO, F. X.; COSTA, S. M.; PEREIRA, T. M.; BAZOLI, T. N. Sistema de remuneração estratégica da empresa Toyopar. FIPAR Revista Eletrônica da Faculdade de Tecnologia Inesul do Paraná, v. 15, n. 1. 2012. Disponível em http://www.inesul.edu.br/revista/arquivos/arq-idvol_16_1329422986.pdf. Acesso em nov. de 2019.

FRANCO, D. As pessoas em primeiro lugar. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

FURTADO, B. M. A. S. M.; DE ARAÚJO JÚNIOR, J. L. C. Percepção de enfermeiros sobre condições de trabalho em setor de emergência de um hospital. Acta Paulista de Enfermagem, v. 23, n. 2, v. 169-174, 2010.

GARDNER, H. Estruturas da Mente. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 2005.

GIACOMELLI, DA W; ROSA BORGES G.; DOS SANTOS, E. G. Determinantes da Desmotivação no Trabalho: uma investigação teórica e empírica. Revista de Administração de Roraima-RARR, v. 6, n. 1, p. 4-17, 2016.

GIL, A. C. Gestão de Pessoas: Enfoque nos Papéis Profissionais. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

________. Gestão de Pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2009.

GUERRA, M. R.; LOURENÇO, P. M. C.; BUSTAMANTE-TEIXEIRA, M. T. & ALVES, M. J. M. Prevalência de perda auditiva induzida por ruído em empresa metalúrgica. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 39, p. 238-244, 2005.

JOHANN, S. L. Comportamento organizacional. São Paulo: Saraiva, 2017.

LACOMBE, F. J. M. Comportamento Organizacional Fácil. São Paulo: Saraiva, 2017.

LIMA, F. G. M. Igualdade de tratamento nas relações de trabalho. 1. ed. São Paulo: Malheiros Editores, 1997.

LOCKE, E. A. What is job satisfaction? Organizational Behaviour Human Performance. v. 4, n. 4, p. 309-336, 1969. The nature and causes of job sa tisfaction. In: DUNNETTE M. D. (ed.). Handbook of industrial and organizational psychology. Chicago: Rand McNally, 1976. p. 1297-1349.

LUZ, J. P. D. Metodologia para análise de clima organizacional: um estudo de caso para o Banco do Estado de Santa Catarina. 2001, 198 f., il. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção). Disponível em: http://repositorio.ufsc.br. Acesso em: nov. 2019.

MARQUEZE E. C.; MORENO, C. R. D. C. Satisfação no trabalho: uma breve revisão, 2005, Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, [s.l.], v. 30, n. 112, Dez. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0303-76572005000200007 Disponível em https://www.redalyc.org/pdf/1005/100517107007.pdf. Acesso em nov. 2019.

NASCIMENTO, E. Comportamento organizacional. Curitiba (PR): IESDE BRASIL SA., 2016.

OYEDELE, L. O. Analysis of architects' demotivating factors in design firms. Reino Unido: [s.n.], 2013.

DE OLIVEIRA FILHO, A., NETTO-OLIVEIRA, E. R.; DE OLIVEIRA, A. A. B. Qualidade de vida e fatores de risco de professores universitários. Journal of Physical Education, v. 23, n. 1, p. 57-67, 2012.

PERRARO S. J. VIEIRA, A. C. P., FREIRE, P. S., ZILLI, J. C. & VOLPATO, D. Gestão de pessoas e o processo de recompensar a motivação dos funcionários: Estudo de caso do setor metalúrgico. Pensamento & Realidade, v. 31, n. 2, p. 51, 2016.

SENGE, P. M. A quinta disciplina: arte, teoria e prática da organização de aprendizagem. Rio de Janeiro: Best Seller, 1990.

PIZA, F. de T. Informações básicas sobre saúde e segurança no trabalho. São Paulo: CIPA, 1997.

REGO, A. Percepções de justiça: estudos de dimensionalização com professores do ensino superior. Psic.: Teor. e Pesq. (online), v. 17, n. 2, p. 119-131, 2001. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37722001000200004. Disponível em http://www.scielo.br. Acesso em: nov. 2019.

Ribeiro, A. R. S., Martins, P. L. & Neta, M. D. C. S. Metas organizacionais e gestão estratégica de pessoas: estudo de caso em uma instituição financeira. Revista de Carreiras e Pessoas (ReCaPe), v. 7, n. 2, p. 2017.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

ROBBINS, S. P. Comportamento organizacional. 9. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

ROBBINS, S. P. Fundamentos do Comportamento organizacional. 7. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

ROBBINS, STEPHEN PAUL Comportamento organizacional. São Paulo: Prentice Hall, 1999.

SCARPIM, C. N. B. & BRITO, O. P. Diagnóstico de clima organizacional para a empresa MDL metalúrgica. Revista Eletrônica, Londrina. Disponível em: https://www.inesul.edu.br/revista/arquivos/arq-idvol_12_1295379122.pdf. Acesso em: nov. 2019.

SILVA, E. L. dá & MENEZES, E. M. Metodologia da Pesquisa e elaboração de dissertação. 3. ed. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2001.

SNEED, J. & HERMAN, C. M. Influence of job characteristics and organizational commitment on job satisfaction of hospital foodservice employees. Journal of the American Dietetic Association, v. 90, n. 8, p. 1072-1076, 1990.

SOTO, E. Comportamento organizacional: o impacto das emoções. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

WAGNER, J. Comportamento organizacional: criando vantagem competitiva. São Paulo: Saraiva, 2017.

Downloads

Publicado

13/06/2022

Como Citar

Nyari, N. L. D., Babinski, C., Mazzutti, K.,  Bohm, G. T., & Bohm , S. I. H. . (2022). Os impactos que o ambiente metalúrgico provoca nas emoções: estudo de caso em uma empresa de Lucas do Rio Verde-MT, Brasil. Revista Inova Ciência & Tecnologia / Innovative Science & Technology Journal, 8, e0221072. https://doi.org/10.46921/rict2022-1072

Edição

Seção

Ciências Sociais e Aplicadas / Admin. (Logística/Gestão)

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)