MÍDIAS SOCIAIS: UM ESTUDO SOB A PERSPECTIVA DO MARKETING DIGITAL E SUA INFLUÊNCIA SOBRE O CONSUMIDOR DA GERAÇÃO Z (NATIVOS DIGITAIS)

Fernando Silvério da Cruz, Ana Patrícia Pinto de Lima

Resumo


Na perspectiva do marketing digital, o objetivo geral é investigar se os jovens consumidores nativos digitais, estudantes de um Instituto Federal, são influenciados pelas mídias sociais e, em caso afirmativo, em que medida se dá essa influência. O método utilizado foi o quantitativo com coleta de dados via questionário “SurveyMonkey”, os quais foram analisados por meio do software estatístico “SPSS” aplicado considerando-se alunos da geração Z, de um Instituto Federal. Foram obtidas 354 respostas. Recorreu-se às análises de estatística descritiva e inferencial. Também foi utilizado o teste qui-quadrado com nível de significância < ou = a 5%. As mídias sociais influenciam os jovens consumidores nativos digitais, na sua decisão de comprar, portanto devem ser usadas nas estratégias de marketing digital pelas empresas. A Geração Z afirma-se assim como uma geração ativa no Mundo Digital, com comportamentos relevantes para as marcas e empresas, sendo necessário continuar a prestar atenção a este fenômeno de mercado. O estudo mostrou a existência de envolvimento dos participantes na interação com as empresas, sendo estes influenciados por ações das empresas nas mídias sociais. Há também interação via mídias sociais com outros usuários para compartilhar suas experiências de compra. Por fim, os dados revelam que os jovens consumidores nativos digitais, participantes do estudo, são influenciados pelas mídias sociais a comprar bens ou serviços pela internet. Os resultados apresentados contribuem para aspectos acadêmicos e de gestão, pois ao basear-se no perfil desse consumidor em potencial, pode-se perceber quais as mídias sociais que mais influenciam esses jovens em sua tomada de decisão em relação à compra.


Palavras-chave


mídias sociais; marketing digital; geração Z (nativos digitais); decisão de compra.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Comunicação Social. Pesquisa brasileira de mídia 2015: hábitos de consumo de mídia pela população brasileira. Brasília: Secom, 2014. Disponível em: http://www.secom.gov.br/atuacao/pesquisa/lista-de-pesquisas-quantitativas-e-qualitativas-de-contratos-atuais/pesquisa-brasileira-de-midia-pbm-2015.pdf/view. Acesso em: 24 jul. 2017.

CERETTA, S. B.; FROEMMING, L. M. Geração Z: compreendendo os hábitos de consumo da geração emergente. RAUnP - Revista Eletrônica do Mestrado Profissional em Administração da Universidade Potiguar, Natal, v. 3, n. 2, p. 15-24, 2011.

CHAFFEY, D.; ELLIS-CHADWICK, F.; JOHNSTON, K.; MAYER, R. Internet marketing: strategy, implementation and practice. 4. ed. Harlow: Pearson Education, 2009.

CORREIA, A. M. R.; MESQUITA, A. Mestrados & doutoramentos: estratégias para a elaboração de trabalhos científicos: o desafio da excelência. 2. ed. Porto: Vida Económica, 2014.

FELDMANN, H. O comportamento de consumo do adolescente e a teoria do consumidor. 2008. Dissertação (Mestrado em Economia) - Faculdade de Ciências Econômicas , Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

FONSECA, F. A. da; PELEGRINO, M. T.; IMANO, P. H.; OLIVEIRA, M. G. de. Influências das redes sociais na compra. Memorial TCC - Caderno da Graduação, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 183–200, 31 dez. 2016.

FREUND, J. E.; SIMON, G. A. Estatística aplicada: economia, administração e contabilidade. 9. ed. Porto Alegre: Bookman, 2000.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

KOTLER, P.; KELLER, K. Administração de marketing. 14. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2012.

LAMB, C. W.; HAIR JR, J. F. H.; McDANIEL, C. (2002). MKTG. (C. Learning, Org.). São Paulo.

McDANIEL, C.; GATES, R. Pesquisa de marketing. São Paulo: Thomson, 2003.

MEIRINHOS, M. Os desafios educativos da geração Net. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, Corunha, v. Extr., n. 13, p. 125-129, 2015.

MOROZAN, C.; CIACU, N. Aspects of online and mobile marketing. Economy Transdisciplinarity Cognition, Bacau, v. 15, n. 2, p. 191–199, 2012.

MOURA, A. C. de; GODINHO, L. A. de C.; GOSLING, M.; MARTINS, J. F. Marketing de relacionamento via redes sociais: uma análise de sua aplicação. REA - Revista Eletrônica de Administração, Franca, v. 13, n. 1, p. 4–29, jan./jun. 2014.

PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants. On the Horizon, [S. l.], v. 9, n. 4, p. 1–6, out. 2001.

REEDY, J.; SHULLO, S. Marketing eletrônico: integrando recursos eletrônicos ao processo de marketing. São Paulo: Cengage Learning, 2007.

ROCK CONTENT. Social Media no Brasil Trends 2017 Universidade Rock Content, 2017. Disponível em: https://inteligencia.rockcontent.com/tendencias-redes-sociais-2017/. Acesso em: 19 out. 2017.

SANTOS, C. F. dos; ARIENTE, M.; DINIZ, M. V. C.; DOVIGO, A. A. O processo evolutivo entre as gerações X, Y e Baby Boomers. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO – SemeAD, 14., 2011, [São Paulo]. [Anais]. [São Paulo]: FEA-USP, 2011.

SANTOS, W. P. dos; LISBOA, W. T. Os “nativos digitais ” brasileiros e suas práticas de consumo e de relacionamento com as empresas : perspectivas , tendências e oportunidades às Relações Públicas. Prisma.com (Portugal), n. 24, p. 139–161, 23 ago. 2014.

SASS, O. Sobre os conceitos de censo e amostragem em educação, no Brasil. Estatística e Sociedade, Porto Alegre, n. 2, p. 128–141, nov. 2012.

SOLIS, B. Doc Searls and Robert Scoble on what’s wrong with social media. [São Francisco], 21 fev. 2007. Disponível em: http://www.briansolis.com/2007/02/doc-searls-and-robert-scoble-on-whats/. Acesso em: 22 out. 2017.

SOLOMON, M. R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 11. ed. Porto Alegre: Bookman, 2016.

STELZNER, M. A. 2017 Social Media Marketing Industry Report: how marketers are using social media to grow their business. [S. l.]: Social Media Examiner, c2017. Disponível em: https://www.socialmediaexaminer.com/social-media-marketing-industry-report-2017//. Acesso em: 19 out. 2017.

STRAUSS, J.; FROST, R. E-marketing. 6. ed. São Paulo: Pearson, 2012.

STRUTZEL, T. Presença digital: estratégia eficazes para posicionar sua marca pessoal ou corporativa na web. Rio de Janeiro: Alta Books, 2015.

TELLES, A. Geração digital: como planejar o seu marketing para geração que pesquisa Google, se relaciona no Orkut, manda mensagens pelo celular, opina em blogs, se comunica pelo MSN e assiste a vídeos no YouTube. São Paulo: Landscape, 2009.

TOLEDO, P. B. F.; ALBUQUERQUE, R. A. F.; MAGALHÃES, À. R. de. O comportamento da geração Z e a influencia nas atitudes dos professores. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 9., 2012, Resende. [Anais]. Resende: AEDB, 2012.

TORRES, C. A bíblia do marketing digital: tudo o que você queria saber sobre marketing e publicidade na internet em não tinha a quem perguntar. São Paulo: Novatec, 2009.

TURBAN, E.; VOLONINO, L. Tecnologia da informação para gestão: em busca do melhor desempenho estratégico e operacional. 8. ed. Porto Alegre: Bookman, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Avaliação Qualis-Capes confirma a importância da revista científica do IFTM

A Revista Inova Ciência & Tecnologia / Innovative Science & Technology Journal (RICT/ISTJ), publicada pela EDITORA IFTM, é bem avaliada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Confira a classificação por áreas no Qualis-CAPES 2017:

ENSINOB3
EDUCAÇÃOB4
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMOB4
CIÊNCIAS AGRÁRIAS IB5
ENGENHARIAS IB5
CIÊNCIA DOS ALIMENTOSC

O Qualis 2017 é um conjunto de procedimentos utilizados pela CAPES para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação.

Atualmente, a Revista Inova Ciência & Tecnologia possui 6 indexadores:

Indexadores

Abbreviated key title         Rev. Inova Ciênc. Tecnol. (Online)