METODOLOGIAS ATIVAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O Peer Instruction

Expedicto Ribeiro de Carvalho Junior, Daniel Fernandes da Silva, Célia Regina Tomachuk dos Santos Catuogno, Estaner Claro Romão

Resumo


Atualmente é cada vez mais corriqueiro o debate em torno do aprendizado ativo e das metodologias ativas como forma de contrapor o ensino tradicional, praticado nas escolas brasileiras, pois têm como objetivo fazer com que o aluno construa e aprenda de forma efetiva e participativa. Nesse sentido, o objetivo desse trabalho é mostrar a aplicação de uma metodologia ativa denominada “Peer Instruction” e discutir os resultados obtidos mostrando os pontos positivos e negativos das observações aferidas. Para sua aplicação, o projeto foi desenvolvido em duas escolas municipais públicas localizadas na região do Vale do Paraíba do Sul, no Estado de São Paulo, em duas disciplinas distintas, matemática e ciências. Um total de 58 alunos, sendo 29 da escola “A” e 29 da escola “B”, com faixa etária entre 10 e 14 anos, foi submetido às etapas da aplicação: apresentação da metodologia; leitura individualizada do texto explicativo/contextualizado e levantamento das dúvidas; explanação do professor; aplicação do questionário e coleta dos resultados por flashcards; e discussão por pares. Os resultados são apresentados de maneira gráfica, mas sua análise é de forma qualitativa, pois visamos não somente discutir as possíveis melhorias por meio da metodologia, mas de forma abrangente discutir as relações envolvidas no processo de ensino-aprendizagem.

Palavras-chave


Ensino Fundamental; Metodologias Ativas; Peer Instruction

Texto completo:

PDF

Referências


Ausubel, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Editora Moraes, 1982.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução. Brasília: Ministério da Educação, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências da Natureza matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação, 2002.

BULEGON, A. M. Contribuições dos Objetos de Aprendizagem, no ensino de Física, para o desenvolvimento do Pensamento Crítico e da Aprendizagem Significativa. 2011. 156 f. Tese (Doutorado) - Curso de Programa de Pós - Graduação em Informática na Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

DEWEY, J. Democracy and Education. Pennsylvania. The Pennsylvania State University, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

JONASSEN, D. O uso das tecnologias na Educação à Distância e as aprendizagem construtivista. Em aberto, Brasília, n.70, ano 16, abr./jun., 1996.

KLUKIEWCZ, P. Procedimento para promover habilidades relacionadas ao brincar em crianças diagnosticadas com autismo. 2007. 109 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós Graduação em Psicologia Experimental, Puc-sp, São Paulo, 2007.

LIBÂNEO, J. C. Pedagogia e Pedagogos, para quê?. São Paulo: Cortez, 1999.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Editora Alternativa, 2001.

LOPES, R. M.; SILVA FILHO, M. V.; MARSDEN, M.; ALVES, N. G. Aprendizagem Baseada em Problemas: uma experiência no ensino de química toxicológica. Química Nova, Niterói, v. 34, n. 7, p.1275-1280, fev. 2011.

MOREIRA, D. A. O método fenomenológico na pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

MÜLLER, M. G.; BRANDÃO, R. V.; ARAUJO, I. S.; VEIT, E. A. Implementação do método de ensino Peer Instruction com o auxílio dos computadores do projeto “UCA” em aulas de Física do Ensino Médio. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 29, n. especial, 2012.

OLIVEIRA, V. Uma proposta de ensino de tópicos de eletromagnetismo via instrução pelos colegas e ensino sob medida para o ensino médio. 236 f. Dissertação- Mestrado em Ensino de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

PASCHOAL, F. Amazônia: uma floresta de superlativos. National Geographic Brasil, set. 2012.

PINTO, A. S. S.; BUENO, M. R. P.; AMARAL E SILVA, M. A. F.; SELLMANN , M. Z.; KOEHLER, S. M. F. Inovação didática- projeto de reflexão e aplicação de metodologias ativas de aprendizagem no ensino superior: uma experiência com "peer instruction". Janus, São Paulo, v. 9, n. 5, p.75-87, jul. 2012.(a)

PINTO, D. P.; GOMES, F. J.; CARVALHO, D.; HATTUM-JANSSEN, N. V.; LIMA, R. M. Aprendizagem Ativa na Disciplina Eficiência Energética: um experimento metodológico. International Symposium On Project Approaches In Engineering Education, Juiz de Fora, p. 255-262, jul. 2012. (b).

ROCHA, H.; LEMOS, W. M. IX simpósio pedagógico e pesquisas em comunicação, 2014, Angra dos Reis. Metodologias ativas: do que estamos falando? base conceitual e relato de pesquisa em andamento. Rio de Janeiro, 2014. 12 p.

SILVA, J. J.; FIGUEIREDO, N.; RODRIGUES, P. A. A.. Juntos num só ritmo: modificando a dinâmica das aulas de física com uso articulado do peer instruction e just in time. IV Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, p.1-11, jul. 2014.

VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Avaliação Qualis-Capes confirma a importância da revista científica do IFTM

A Revista Inova Ciência & Tecnologia / Innovative Science & Technology Journal (RICT/ISTJ), publicada pela EDITORA IFTM, é bem avaliada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Confira a classificação por áreas no Qualis-CAPES 2017:

ENSINOB3
EDUCAÇÃOB4
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMOB4
CIÊNCIAS AGRÁRIAS IB5
ENGENHARIAS I (Ciência da Computação)B5
CIÊNCIA DOS ALIMENTOSC

O Qualis 2017 é um conjunto de procedimentos utilizados pela CAPES para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação.

Atualmente, a Revista Inova Ciência & Tecnologia possui 6 indexadores:

Indexadores

Abbreviated key title         Rev. Inova Ciênc. Tecnol. (Online)