A ESCOLA COMO ESPAÇO DE CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE AFROBRASILEIRA: ENTRAVES E POSSIBILIDADES

Marcio Bonesso

Resumo


A presente roda de conversa A Escola como Espaço de Construção da Identidade Afro-brasileira: Entraves e Possibilidades teve como propósito contribuir para a construção de uma cultura da diferença no âmbito da estrutura pedagógica e institucional do Campus IFTM Uberlândia Centro, viabilizando a construção de uma educação étnica racial no ambiente escolar. Para tanto, partiu-se da seguinte problematização: como reverter o quadro de preconceito e desinformação dos servidores acerca das questões históricas, culturais e sociais da população negra no universo escolar? Ao longo da conversa, avaliou-se que a escola ainda não está preparada para discutir as diferentes representações histórias e culturais da população negra no Brasil. Existe, sobretudo, um desconhecimento acerca das condições históricas que viabilizou a escravidão e as reais condições de vida do negro no período colonial. E mais, o desconhecimento e o desprezo pelas questões afro-raciais na escola acabaram por reforçar a ideia do mito da democracia racial, ou seja, a falsa harmonia entre brancos e negros. Em consequência desse processo, a escola se transformou num lócus privilegiado para o exercício da violência e da interdição contra o negro, manifestada, sobretudo, pela intolerância religiosa, preconceito racial e indiferença as suas práticas culturais. Assim, o presente relato tem como proposta apresentar o cenário histórico do Brasil Colônia, em especial, o contexto em que foi desenvolvida a escravidão. Por conseguinte, discutir-se-á também a construção do mito da democracia racial em nosso País e o processo de violência e interdição vivenciadas pelos negros no ambiente escolar.    


Palavras-chave


Escola. Afrodescendentes. Democracia racial. Representações de violência negra.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Boletim Técnico IFTM, Uberaba - MG