A ASSIMILAÇÃO DAS INFORMAÇÕES REPASSADAS POR CAMPANHAS SOBRE O Aedes aegypti E SUAS ARBOVIROSES EM CIRCULAÇÃO NO BRASIL, POR CRIANÇAS DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Maiane Mara dos Santos, Flavio Caldeira Silva, Josiane Nogueira Muller

Resumo


O Brasil vivencia a circulação de três importantes arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, com consequências igualmente preocupantes para a Saúde Pública Nacional. Por isso, diferentes estratégias de controle do mosquito vêm sendo realizadas pelo Ministério da Saúde, especialmente, campanhas educativas que buscam conscientizar a população sobre os riscos que trazem a proliferação deste vetor. Logo, as crianças são importante alvo de estudo, pois além de auxiliar na perpetuação das medidas de controle, são fundamentais para a escolha de ações que envolvam resultados em longo prazo. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito das campanhas veiculadas na assimilação dos conhecimentos sobre o A. aegypti e as enfermidades a ele associadas. O estudo contemplou 160 alunos matriculados regularmente na rede pública de ensino, cursando do 6º ao 9º ano. Os questionários foram aplicados entre os meses de maio e junho de 2016, durante as intensas campanhas de combate ao vetor. Os resultados evidenciaram que, apesar de a maioria dos alunos responderem saber o que é Dengue, Zika e Chikungunya, existe uma associação errônea desta nomenclatura quanto a ser o mosquito, e não as doenças. A maioria ainda não assimilou informações como o fato de que muitos casos de infecção podem não apresentar sintomas e que não existe um tratamento específico para essas doenças. Os resultados obtidos evidenciam a necessidade de adequação das campanhas, a fim de assegurar a compreensão efetiva da população, especialmente as campanhas direcionadas a crianças e adolescentes para que possibilite mudanças de comportamento.

 

 


Palavras-chave


Dengue; Zika; Chikungunya; Ituiutaba-MG.

Texto completo:

PDF

Referências


BALLESTER, L. M; MONTEIRO, S; MEIRELLES, R. M. S; ARAÚJO-JORGE, T. C. Experiência de grupos colaborativos para educação e saúde e prevenção em dengue. Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. ATAS DO V ENPEC. n. 5, 2005.

BRAGA, I.A.; VALLE, D. Aedes aegypti: histórico do controle no Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 16, p. 113-118, 2007.

CHOUIN-CARNEIRO, T.; VEGA-RUA, A.; VAZEILLE, M.; YEBAKIMA, A.; GIROD, R.; GOINDIN, D. et al. Differential Susceptibilities of Aedes aegypti and Aedes albopictus from the Americas to Zika Virus. PLoS Negl Trop Dis, v. 10, n. 3, p. e 0004543, 2016.

FIOCRUZ. Fiocruz identifica mosquitos Aedes aegypti naturalmente infectados pelo vírus Zika. Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: < http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/fiocruz-identifica-mosquitos-aedes-aegypti-naturalmente-infectados-pelo-virus-zika >.

G1 DO TRIÂNGULO MINEIRO. Ituiutaba registra mais de 700 notificações para dengue em março, Ituiutaba, 2016. Disponível em: < http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2016/03/ituiutaba-registra-mais-de-700-notificacoes-para-dengue-em-marco.html>.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Cidades: Ituiutaba. Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/cidadesat>.

KRAEMER, M.U.G.; SINKA, M.E.; DUDA, K.A.; MYLNE, A.Q.N.; SHEARER, F.M.; BARKER, C.M. et al. The global distribution of the arbovirus vectors Aedes aegypti and Ae. albopictus. eLife, v. 4, p. e08347, 2015.

LIMA-CAMARA, T.N. Emerging arboviruses and public health challenges in Brazil. Rev Saude Publica, v. 50, 2016.

MARTINS, F.P.; COSTA, R.A. A compartimentação do relevo como subsídio aos estudos ambientais no município de Ituiutaba-MG. Sociedade e Natureza, Uberlândia , v. 26, n. 2, p. 317-331, 2014.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Boletim Epidemiológico, v. 47, n. 27. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Brasilia 2016a. 10 p.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Plano Nacional de Enfrentamento. Prevenção e combate: Dengue, Chikungunya e Zika, 2016b. Disponível em:< http://combateaedes.saude.gov.br >.

RORIZ, P.A.C. ; PERES, W. V. ; RAMOS, R. S. . Percepção de Estudantes de 9° ano sobre Dengue, Zika e Chikungunya. NEXUS - REVISTA DE EXTENSÃO DO IFAM , v. 2, p. 93-100, 2016.

TAVEIRA, L.A., FONTES, L.R., NATAL, D. Manual de diretrizes e procedimentos no controle do Aedes aegypti. Ribeirão Preto: Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, 2001.

VALLE, D.; PIMENTA, D.N.; AGUIAR, R. Zika, dengue e chikungunya: desafios e questões. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 25, p. 419-422, 2016.

VALLE, D.; PIMENTA, D.N.; CUNHA, R.V. Dengue: teorias e práticas. In: (Ed.): Fiocruz, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Avaliação Qualis-Capes confirma a importância da revista científica do IFTM

A Revista Inova Ciência & Tecnologia / Innovative Science & Technology Journal (RICT/ISTJ), publicada pela EDITORA IFTM, é bem avaliada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Confira a classificação por áreas no Qualis-CAPES 2017:

ENSINOB3
EDUCAÇÃOB4
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMOB4
CIÊNCIAS AGRÁRIAS IB5
ENGENHARIAS IB5
CIÊNCIA DOS ALIMENTOSC

O Qualis 2017 é um conjunto de procedimentos utilizados pela CAPES para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação.

Atualmente, a Revista Inova Ciência & Tecnologia possui 6 indexadores:

Indexadores

Abbreviated key title         Rev. Inova Ciênc. Tecnol. (Online)