AFERIÇÃO DE DIFERENTES MODELOS DE PLUVIÔMETROS EM UBERABA-MG

Jan Cornelis van Kempen, Matheus Pereira de Assis, Israel Elias Mello, Márcio José de Santana

Resumo


A precipitação é um importante fenômeno do ciclo hidrológico, gerando efeitos expressivos nos processos ambientais associados, como erosão do solo, inundação de áreas, transporte de poluentes e fornecimento de água ao solo e a planta. A acurácia de sua quantificação implica no desempenho da estimativa dos seus efeitos. Diferentes modelos de pluviômetros estão disponíveis para medição da altura de precipitação como os tradicionais com leituras manuais e os automáticos. O experimento foi conduzido na estação meteorológica do Núcleo de Estudos em Manejo de Culturas Irrigadas (NUMAI), localizado no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM) campus Uberaba-MG, no período do dia 06 de dezembro de 2017 ao dia 30 de abril de 2018 totalizando 146 dias de coletas. O objetivo foi avaliar a acurácia da medida realizada em cinco equipamentos pluviométricos manuais instalados em campo. Os pluviômetros utilizados foram: Ville de Paris (Universal - padrão); São Izidro; TFA 47.1001; Analógico e do tipo Cunha. Os pluviômetros que se mostraram mais apurados foram o São Izidro e o TFA 47.1001, tiveram coeficientes de correlação e determinação mais elevados além de que na regressão linear apresentaram valores próximos a 1, mostrando baixa variação das leituras comparadas ao pluviômetro padrão Ville de Paris.

Texto completo:

PDF publicar

Referências


ANA – AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS, Sistema de informações hidrológicas, em . Acesso em: 27 maio. 2018.

CHEVALLIER, P. Aquisição e processamento de dados. In: TUCCI, C.E.M. Hidrologia: Ciência e aplicação. Porto Alegre, Ed. UFRGS/EDUSP/ ABRH, 1993. p.485-525.

DEVINE, K. A.; MEKIS, É. Field accuracyofcanadianrainmeasurements. Atmosphere Ocean. v. 46, n. 2, p. 213-227, 2008.

MILANESI, M. A.; ALVES, R. R.; GALVANI, E; Comparativo entre instrumentos pluviométricos experimentais e automáticos. Climatologia em Diferentes Níveis Escalares: Mudanças e Variabilidades. v. 1, Campinas SP, 2017.

PINHEIRO, A.; DORING, J.; KAUFMANN, V.; LEÃO, J. S.; NASCIMENTO, M.; Acurácia na medição da altura de precipitação em pluviômetro de báscula. Revista de Estudos Ambientais.v. 16, n. 1, p. 38-44, jan./jun. 2014.

SILVA, W. S.; GUIMARÃES, E. C.; TAVARES, M. Variabilidade temporal da precipitação mensal e anual na estação climatológica de Uberaba, MG. Ciência e Agrotecnologia. Lavras, v.27, n.3, p. 665-674, maio-jun. 2003.

SOUZA, J. L. M.; SCHÄFER, R. F.; SCHÄFER, H.; JERSZURKI, D. Precipitação medida com pluviômetros alternativos na região de Curitiba, Estado do Paraná. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambientais, v. 11, Supl. 2, p. 83-93, 2013.

VALLE JUNIOR, R. F.; PASSOS, A. O.; ABDALA, V. L.; RAMOS, T. R. Determinação das áreas de preservação permanente na bacia hidrográfica do rio Uberaba-MG, utilizando o sistema de informação geográfica (SIG). Global Science and Technology.v.3, n.1 p.19-29, jan-abr. 2010.

WMO – WORLD METEOROLOGICAL ORGANIZATION. Guidetometeorologicalinstrumentsandmethodsofobservation. 7 ed., Gênova: WMO, 2008. (WMO-Número 8).ARGREAVES, G. H.; SAMANI, Z. A. Reference crop evapotranspiration from temperature. Applied Engineering Agricuture, v.1, n.2, p.96-99, 1985.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Abbreviated key title:   An. Semin. Pesqui. Inov. Tecnol.