A CAPACITAÇÃO PARA MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS COMO ALTERNATIVA DE INCLUSÃO PROFISSIONAL DE DEFICIENTES VISUAIS

Deborah Santesso Bonnas, Maida Blandina Honório

Resumo


No Brasil muitos cidadãos apresentam algum tipo de deficiência. Assim, foram criadas normas para inclusão dessas pessoas na sociedade e no mercado de trabalho. No entanto, mesmo com essas leis que asseguram inclusive ofertas de empregos para os deficientes, as empresas têm dificuldades na hora de contratar por falta de mão de obra qualificada. Nesse contexto, propôs-se o desenvolvimento de capacitação em manipulação de alimentos para deficientes visuais. O trabalho desenvolvido na Unidade de Alimentação e Nutrição do Instituto de Cegos do Brasil Central, instituição filantrópica localizada em Uberaba/MG. O estudo apresentou três grupos de intervenção: visão normal, baixa visão e cegos. Cada grupo passou por avaliações anteriores e posteriores ao treinamento, uma de cunho teórico com aplicação de um questionário estruturado sobre questões relativas às boas práticas na fabricação de alimentos e outra avaliação prática em que os participantes manipularam alimentos enquanto eram avaliados por meio da lista de verificação. Na avaliação do questionário estruturado, todos os grupos apresentaram média considerada excelente após o treinamento, sendo o grupo de cegos o que apresentou maior evolução de antes para após o treinamento passando do conceito de “bom” para “excelente”. Na avaliação prática a partir da lista de verificação, todos os grupos também apresentaram evolução de conceitos. Portanto, a inclusão profissional de alunos cegos e de baixa visão é possível na área de manipulação de alimentos desde que sejam utilizados todos os recursos que contribuam para essa abordagem

Palavras-chave


Educação Profissional e Tecnológica; Educação Inclusiva; Processos e Práticas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.