HISTÓRIA EM PRETO E BRANCO

Tânia Mara Souza Guimarães

Resumo


Considerando pesquisas realizadas e resultados obtidos em 2015 em busca da presença da arte africana e afro-brasileira em livros didáticos de história, as análises desencadearam uma série de outras inquietações. Neste sentido, em 2017, tendo como foco questões relacionadas à representatividade da PROEN no Comitê Gestor do Pacto Universitário de Educação em Direitos Humanos cuja asserção é uma educação que promova o bem de todos, sem preconceitos ou quaisquer formas de discriminação, o presente trabalho trata, não mais da presença da arte, mas da presença do próprio negro nos livros didáticos de História utilizados por alunos dos cursos técnicos integrados ao ensino médio dos campi do IFTM. A busca e as análises dessas imagens tiveram como fundamento os princípios da pesquisa fenomenológica conforme Bicudo (2000, 2011 e 2012). Organizado o material em arquivos específicos propôs-se um trabalho com os alunos de um dos campi da Instituição, visando a conscientização sobre aspectos dos direitos humanos e sobre a inclusão. Pretendeu-se o fortalecimento de ações no sentido de que sejam valorizados os direitos de todos em uma convivência com alteridade e que permita erradicar formas de discriminação no quesito cor e raça no âmbito do Instituto. Os números das imagens analisadas e as características das mesmas a partir dessas análises permitiram, nos momentos com os alunos, a conscientização quanto à importância da postura de um olhar crítico em relação à representatividade de cada grupo, numa perspectiva inclusiva. 


Palavras-chave


Direitos Humanos, Imagem do negro, Livro didático

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.